Ulisses&Penélope


Blog para mocinhas que se inspiram em Ulisses nas suas Odisséias em mares urbanos, sem deixar de lado JAMAIS a faceirice de uma luxuosa Penélope moderna.

Este é um espaço para você gastar 5 minutos lendo todo dia; uns poucos minutos testando as novidades e infinitas horas aplicando pro resto da vida o que achar que deve.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

ENQUANTO PERSÉFONE NÃO VOLTA...

No mito de Pérsefone, a explicação das estações do ano é pra lá de bonita: filha da agricultora Deméter com o todo-poderoso Zeus, a linda jovem fez o deus Hades, senhor dos reinos subterrâneos, cair de amores por sua beleza. Como Deméter não queria conta com os deuses, negou sumariamente o pedido de Hades de casar com sua filha. Ele, que não era um qualquer, saiu literalmente do Quinto-dos-Infernos e raptou a jovem, fazendo-a sua senhora na marra.

Sendo Deméter A agricultora, que cuidava do cultivo dos alimentos de todo mundo, e caindo ela numa imensa tristeza por conta da falta da filha, os campos simplesmente começaram a definhar, já que a mãe deprimida não tinha mais vontade de cuidar de outra coisa que não sua dor. Zeus previu então o fim dos homens, que em breve seriam acometidos pela fome. Ótimo mediador de conflitos que era, Zeus achou uma solução criativa: Perséfone seria dividida entre Deméter e Hades. 


E assim se fez: ao longo do ano, durante seis meses a jovem vive na superfície, trazendo imensa alegria a sua mãe, que brinda então os homens com fertilidade, muitas cores e fartura de alimentos. Este período de felicidade materna é o que conhecemos por Primavera e Verão, as estações mais calorosas de nosso calendário. Nos outros seis meses, Perséfone faz as vezes de rainha dos reinos subterrâneos, e esse período corresponde ao Inverno e o Outono, estações tristes e frias que traduzem a dor e saudade de sua mãe, obrigada a permanecer longe da filha querida.

Este equilíbrio das forças da Natureza continua igual; basta olhar pela janela para deduzir que neste momento Perséfone está fazendo a linha rainha, e sua mãe não está nem aí pra gente, castigando os homens com dias frios e sem cor.

A dor de Deméter é mesmo dose para leão: dias de chuva, umidade, pés molhados e mudanças de temperatura, que muitas vezes acabam com nossa pele. A pele dos lábios, fininha como ela só, é uma das mais castigadas pelas lágrimas de Deméter, que esquece até mesmo de mandar o Sol para gente, o que leva a temperatura a cair vez ou outra. Não sendo deusas do Olimpo, só cabe a nós redobrar os cuidados.

Qualidade máxima por menos de R$40 
Aí entra a frescurite: hidratantes labiais! Não indico manteiga de cacau não, porque ela basicamente é uma gordura que fica melada demais caso o tempo volte a esquentar. Além disso, ela tem cheiro e gosto, o que particularmente me incomoda porque altera o sabor dos alimentos. Minha indicação é o Ceralip da La Roche Posay, uma cera labial sem cor nem cheiro, que hidrata pra burro, não derrete e reeeeeende que você nem acredita. Você encontra em farmácias de manipulação ou boas farmácias convencionais. Não se assuste com o valor, aparentemente alto: é perto dos R$40. Se você comparar com a manteiga de cacau de R$2, vai mesmo parecer um absurdo. Mas, pode confiar: dura pelo menos uns 6 meses, usando diariamente. Esta é a grande vantagem de um bom produto: a gente usa só um tiquinho e tem um resultadão! rs

Com este pequeno truque, a partir de hoje mesmo até quando for a hora de Perséfone voltar para casa da mamãe você terá seus lábios de deusa ga-ran-ti-dos.

2 comentários:

Ana F. disse...

PQP, ISabela, caro pra cacete!
Tem uma versão Avon, não?

Mônica Santana disse...

Tem amiga!!! Claro que tem! Na linha Avon Care, tem o Avon Care Rica Protetor Labial Hidratante. Ele protege os lábios do ressecamento e é feito à base de manteiga de karité, além de ser aditivado com vitaminas. R$4,99 na sua revendedora Avon mais próxima. Tipo eu, oi?